segunda-feira, 22 de julho de 2013

ARVORES FRUTÍFERAS DE CAIMITO

Caimito
Árvore de 12 a 15 m de altura. Quando cortada ou retirada as folhas, flores ou frutos, produz uma substância leitosa (árvore latescente). Folhas alternas, pecioladas, elíptico-oblongas, de ápice obtuso ou agudo, agudas na base, bordo inteiro, pilosa na face inferior, com pêlos dourados definindo uma coloração que pode variar do marrom ao dourado, de fácil reconhecimento, bem nítidos. Flores com corola tubulosa, numerosas nas axilas das folhas, apresentando pedicelo recoberto por lanugem brancacenta. Fruto baga globosa, roxa, azul ou esverdeada, de 5 a 10 cm de diâmetro, polpa branca, às vezes rósea gelatinosa, contendo 4 sementes pardas ou pretas.

OBSERVAÇÕES ECOLÓGICAS E OCORRÊNCIA

Espécie originária das Antilhas.

USOS MAIS FREQUENTES

Polpa do fruto muito agradável, gelatinosa e doce, muito usada para doces e ao natural.
Flor: Fevereiro a maio
Fruto: Maio a setembro
Fonte: www.esalq.usp.br


Nome científico: Chrysophyllum cainito
Família: Sapotáceas
Nome comum: caimito, abiu-roxo
Origem: América Central e Antilhas
Caimito

Descrição e característica da planta

Planta perene de clima quente. Árvore – com 10 a 18 metros de altura e exsuda látex nos ferimentos. Folhas – inteiras, ovais, verde-escuras, lisas e brilhantes na face superior, pálido-esbranquiçado e com pêlos, na inferior. Flores – brancas ou amareladas, isoladas, emitidas em agrupamentos, em forma de tufos, na axila das folhas com os ramos. Frutos – globosos, tipo baga (fruto com polpa suculenta e contém sementes), casca fina, lisa, de cor verde ou roxa, polpa carnosa e pegajosa devido ao látex e com 6 a 10 sementes por fruto.
A propagação é feita principalmente por sementes. A alporquia é um método de propagação vegetativa recomendada. É uma técnica usada para enraizar ramos com diâmetro de 1,5 a 2,5 centímetros, na própria planta que já esteja frutificando, pela retirada de um anel da casca. Depois se cobre o local com musgo úmido ou terra úmida e protege-os com um plástico para não secar.
A adição de um hormônio de enraizamento, o ácido indol butílico, no local do corte, favorece o enraizamento. A formação de raízes ocorre no período de 40 a 60 dias. Ao constatar a emissão de raízes, apalpando-se o local, deve-se cortar o ramo logo abaixo, retirar o plástico, plantar num substrato rico em matéria orgânica e manter em local que propicie bom desenvolvimento. Em geral, as plantas propagadas por alporquia têm menor longevidade em relação a outros métodos de propagação.

Produção e produtividade

A frutificação ocorre de julho a dezembro.

Utilidade

Os frutos são consumidos ao natural e na forma de sucos, geléias e compostas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário